Tuesday, August 16, 2005

Quando era puto não gostava de poesia #3

Agora resgato poemas que me perseguem.

Cobarde, por que murmuras todo o dia no teu coração a
palavra do amor?
Porque falas dela incessantemente,
A toda a hora, a qualquer hora
Excepto quando está presente em carne e osso?
Deixa-te disso, homem,
Vai ter com ela, e tenta portar-te como se falasses a sério.

in Poemas de Amor do Antigo Egipto | Assírio & Alvim
(trad. Hélder Moura Pereira)