Saturday, October 22, 2005

Quando era puto não gostava de poesia #4

Agora não me resta mais nada.

No ponto onde o silêncio e a solidão
Se cruzam com a noite e com o frio,

Esperei como quem espera em vão,

Tão nítido e preciso era o vazio.



Arpad Szenes

Sophia de Mello Breyner Andresen
in Poesia | 1944 | Caminho