Wednesday, February 22, 2006

A morte é fodida

Meio da tarde. Um funeral saindo da igreja deixa-me retido no trânsito por alguns momentos. Contingências de quem labora nas imediações deste macabro passeio, observo pela enésima vez um lento cortejo fúnebre de alguém que não conheço. Nestas tristes ocasiões, enquanto espectador distante poupado à dor, lembro-me sempre do cartoon do Quino. Oxalá que o defunto, quem quer que ele fosse, tenha sabido lidar com ela.


(Quino)