Wednesday, February 01, 2006

Soneto

Julga-me a gente toda por perdido
vendo-me, tão entregue a meu cuidado,
andar sempre dos homens apartado
e dos tratos humanos esquecido.

Mas eu, que tenho o mundo conhecido
e quase que sobre ele ando dobrado,
tenho por baixo, rústico, enganado,
quem não é com meu mal engrandecido.

Vão revolvendo a terra, o mar e o vento;
buscam riquezas, honras a outra gente,
vencendo ferro, fogo, frio e calma;

que eu só, em humilde estado, me contento
de trazer esculpido eternamente
vosso formoso gesto dentro n'alma.

(Luís de Camões)